As principais tendências para o agronegócio em 2022

Em 2022, o agronegócio brasileiro deverá ter um crescimento de quase 5%, segundo projeções da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Mas, para que essa tendência se confirme, é ciência de todos que o uso da tecnologia no agronegócio será imprescindível para o próximo ano, mesmo diante dos muitos desafios.

E com o propósito de discutir os desafios e as tendências para o agronegócio em 2022, além das tendências para o uso da tecnologia no agronegócio, Renato Borges, Fundador & CEO da Agrointeli, promoveu um bate papo virtual com Bruno Paniago, COO na Agrointeli, Fernando Bavaresco, Gerente de Agricultura Digital e Serviços na 3tentos e Marcus Faria, Coordenador de projetos em agronegócios no Sebrae/MS.

tendências para o agronegócio

 

Quer saber como foi a conversa? Então confira os pontos principais abordados na live e entenda quais são as perspectivas do agro para 2022.

 

Tendências no agronegócio para 2022: Muito otimismo, mas com certa cautela

Renato Borges abriu a conversa virtual citando alguns números que vão guiar todo o ano de 2022 do agronegócio brasileiro. Ele citou dados da FGV que indicam que o agronegócio brasileiro terá um crescimento de 5% até o final do ano (como visto no gráfico abaixo). Já a safra de grãos tem expectativas de atingir volume recorde, com 289,8 milhões de toneladas.

tendências para o agronegócio

Fonte: aviculturaindustrial

A expectativa para 2022 é bastante otimista, indicando na produção de grãos um crescimento de 14% maior que o ano anterior, mostrando o constante crescimento do setor. Com isso, a chance de o agronegócio abocanhar mais uma parcela do PIB brasileiro é muito grande”, indicou Renato.

Dentro desta expectativa, Marcus Faria ressaltou que o Sebrae/MS, por ser um órgão de fomento, acompanha o mercado do agro constantemente para balizar suas ações e projetos e, para o órgão, as tendências para o agronegócio em 2022 são otimistas, mas é preciso ter cautela.

As expectativas de crescimento para o agronegócio em 2022 são otimistas e podem até serem maiores que as tendências que se apresentam, mas não podemos nos esquecer que ainda estamos dentro dos reflexos da pandemia, que trouxe uma série de situações ao mercado”.

Marcus Faria ressaltou que, mesmo com a pandemia, o ano de 2021 para o agronegócio foi excelente, elevando as projeções para 2022. “Tivemos um 2021 com ótimas safras, com exportações excelentes, superávit recorde e elevados preços de commodities e juros baixos. Mas toda essa euforia para 2022 precisa ser ponderada com uma certa cautela”.

O Coordenador de projetos em agronegócios no Sebrae/MS ressaltou que, a partir do segundo semestre, há uma perspectiva de desaceleração da demanda por algumas razões. “Algumas notícias mostram que teremos ajustes de preços de insumos, fretes elevados e taxas de juros mais elevadas”, ressaltou.

Diante de tudo isso, Marcus Faria acredita que, nas tendências para o agronegócio, teremos um ano de alta volatilidade, com pontos positivos e negativos, além de muitos desafios e oportunidades pela frente. “Precisamos ter cautela, mas as tendências para o agronegócio indicam que teremos ainda um ano muito bom”.

Já Fernando Bavaresco, da 3tentos, começou sua abordagem sobre o tema explicando que o produtor do agro está no “melhor negócio do mundo”. Ele explica que o agricultor sempre espera crescimento, a única dúvida é: Quanto o agronegócio brasileiro vai crescer?

O histórico do agronegócio brasileiro mostra que o setor se fundamenta pela elevação da produtividade como um todo e não apenas pela elevação da área, indicando uma verticalização da produção”, explicou Bavaresco.

Diante disso, o Gerente de Agricultura Digital e Serviços na 3tentos também concorda que se vislumbra um belo ano para o agronegócio, com muitas oportunidades pela frente. Mas ele salientou que também teremos um 2022 com alguns desafios, tais como problemas logísticos e de infraestrutura, tais como estradas em más condições e portos sem estrutura.

tendências para o agronegócio

Fonte: vocevaientender

Os problemas logísticos e de infraestrutura já são bem conhecidos por nós e deverão ser enfrentados. Mas temos também muita tecnologia e conhecimento gerados, como cultivares mais adaptados, manejos mais eficazes e processos de gestão mais assertivos, ou seja, temos desafios e inovações em um mesmo ambiente”.

Como forma de ajudar o produtor neste cenário, Fernando Bavaresco explicou que a 3tentos tem seu modelo de acesso baseado em assistência técnica, levando conhecimento ao produtor e permitindo que ele faça o simples bem feito. “A agricultura significa fazer o simples bem feito e nós acreditamos muito nisso”.

 

Detalhes dos sistemas de produção serão fundamentais em 2022

Seguindo a mesma linha anteriormente citada, Bruno Paniago explicou que o agronegócio brasileiro é muito desafiador e altamente competitivo a nível nacional e internacional. Exatamente por isso, ele ressaltou que cabe às empresas de tecnologia reconhecer as oportunidades e levar tecnologia e inovação para os atores desta gigantesca cadeia.

Estamos falando de um mercado com mais de 70 milhões de hectares apenas com produção de grãos e isso é uma excelente oportunidade para atuar visando aumento da produtividade via uma grande variedade de tecnologias, desde o plantio até a colheita”, disse.

Assim como Marcus Faria e Fernando Bavaresco, Bruno Paniago também concorda que as estimativas são muito boas com fortes tendências para o agronegócio em 2022. Mas mesmo com essa onda de otimismo, ele indica ser fundamental começar a pensar nos detalhes. “O macro, todo mundo já sabe como funciona e como agir, mas chegou a hora de se preocupar com os detalhes!”.

Paniago explica que quando falamos em detalhes, estamos falando necessariamente na coleta de dados e em uma plataforma que organiza esses dados de uma forma mais rápida e eficiente. 

tendências para o agronegócio

Fonte: sitiopema

A quarta evolução do agronegócio é baseada na coleta, armazenamento e principalmente na análise dos dados. A partir deles, o produtor pode tomar melhores decisões. Essa é a prova de que está mais do que na hora de nós nos preocuparmos com os detalhes e esse é um dos objetivos da Agrointeli, ajudando com todas as operações de campo”.

 

Tendências em tecnologia no agronegócio: o que esperar para 2022?

Mesmo com significativa evolução na última década, o agronegócio brasileiro ainda é, dentre os muitos setores da sociedade, o menos digital. Exatamente por isso, quem começar na área antes, terá melhores resultados também de forma antecipada, essa é uma das tendências para o agronegócio.

E, segundo Bruno Paniago, o custo de produção e as variações do clima são grandes desafios que a tecnologia terá que contribuir e ajudar a monitorar. Mas, além disso tudo, o COO na Agrointeli diz que o grande desafio ainda é a gestão.

tendências para o agronegócio

Fonte: humberseguros

Ainda falta, seja a nível de produtor, seja a nível de consultor agrícola, uma gestão mais aprimorada dos dados coletados. Caminhamos para ter milhares de dados produzidos, mas ainda não estamos bem consolidados com a gestão destes dados”, acredita.

Paniago tem certeza que aquele agricultor que não tem gestão de dados, ele já começa a safra perdendo e esse é o grande desafio para 2022. “Precisamos ajudar produtores e consultores a analisar detalhes (dados) para que tenham resultados lá na frente. Afinal, sem gestão, não há resultados”.

Diante disso, Paniago crê que as grandes tendências para o agronegócio, em tecnologia, se baseiam em: 

  • Smart farming; 
  • Digitalização; 
  • Aplicações localizadas (por m² ou invés de hectare); 
  • Aplicações na nuvem (computação em nuvem);
  • Equipamentos autônomos; 
  • Genética (manipulação de genes e criação de novas variedades de híbridos);
  • Nanotecnologia; 
  • Drones e muitos outros avanços. 

O futuro é agora e não dá mais para esperar, mas para aproveitar toda essa tecnologia é preciso priorizar a formação de agricultores, técnicos e consultores. Essa é a nossa missão através da Agrointeli”, opina Paniago.

Para complementar a fala de Bruno Paniago, Renato Borges ressaltou que o produtor sempre busca a máxima produtividade, mas ele precisa focar muito mais na rentabilidade, isso é umas das tendências para o agronegócio. “No final do dia, o que vale é o capital que entra no bolso e é a rentabilidade que irá mostrar isso”, disse.

tendências para o agronegócio

Fonte: Freepik

Marcus Faria, por sua vez, disse que falar em tendências em tecnologia no agronegócio não é uma tarefa fácil, haja visto que o aporte tecnológico é imprescindível para qualquer negócio. “Sem tecnologia, o negócio, independente da área, certamente está atrasado”, diz.

Mas, no mundo agro, falar em tendências de tecnologia no agronegócio é ainda mais importante, com ela tomando essencial pela necessidade do produtor rural melhorar cada dia mais.

Dessa forma, o coordenador de projetos em agronegócios no Sebrae/MS ressaltou que para ter tecnologia o produtor precisa, acima de qualquer coisa, ser gestor da sua empresa e, a partir disso, trabalhar seu planejamento.  “O produtor deve saber onde ele quer chegar? Onde ele está? Quais são os objetivos? E a partir dessa análise definir quais são as estratégias”, ressaltou.

 

Vemos uma luz no fim do túnel: Novas tecnologias ajudam o produtor

Complementando sua fala, Marcus Faria disse que o produtor visualiza uma luz no fim do túnel com a chegada de muitas tecnologias que começam a se apresentar ao produtor rural.

Segundo ele, a chegada de novas tecnologias de conectividade, como o 5G trazem ao setor uma esperança de que vamos galgar a tão esperada comunicação entre máquinas, pessoas e sistemas de gestão. 

tendências para o agronegócio

Fonte:tudocelular

E, assim como disse Bruno Paniago, para Marcus Faria a capacitação é fundamental no atual momento. ”No Sebrae estamos trabalhando para oferecer capacitação ao produtor, mostrando as tecnologias que já existem e como elas contribuem com sua atividade”. 

Para finalizar o enriquecedor bate papo, Fernando Bavaresco levantou a informação de que a adoção de tecnologias pelo produtor rural varia de acordo com o grau de maturidade de cada atividade. Segundo Bavaresco, o entendimento desse grau será um guia para definir um entre os vários horizontes de inovação. 

Alguns produtores demandam inovações mais básicas/simplistas, outros, por sua vez, por serem mais tecnificados, podem necessitar de tecnologias mais modernas e digitais”.

Mas, independentemente disso, ele salienta que todas as tendências em tecnologia no agronegócio precisam englobar três pilares básicos:

  1. Eficiência;
  2. Rentabilidade;
  3. Sustentabilidade

Se alguma tecnologia não seguir estes pilares, ela deverá ser repensada!”, acredita o Gerente de Agricultura Digital e Serviços na 3tentos. 

Ele ainda complementa o real papel da 3tentos neste cenário. “Nosso grande objetivo é fazer com que o produtor sempre dê certo, por isso priorizamos a melhor assistência técnica a nossos clientes, além de uma ótima capacitação, sobretudo em gestão”.

Por fim, assim como citado pelos outros profissionais na live, Fernando Bavaresco salienta que a grande tendência em tecnologia no agronegócio são os dados. “Essa é uma grande necessidade e a tecnologia está inserida nisso via agricultura digital. A AP está facilitando a captura de dados em todas as vertentes e vai guiar as inovações daqui para frente”.

Para assistir o bate papo por completo das tendências para o agronegócio, convidamos você a assistir o vídeo abaixo ou acessar o canal da Agrointeli no Youtube e conferir a live.

Renato Borges

Renato Borges

Filho e neto de produtor rural e sempre com a cabeça em tecnologia. Eleito pela Forbes os jovens mais promissores do Brasil na próxima década. Eleito pelo MIT (Massachusetts Institute of Technology) um dos jovens mais inovadores da américa latina. Engenheiro de formação, criou a Agrointeli que é uma plataforma agronômica em mais de 300 fazendas, 18 estados e 4 países. Mais de 7 anos de experiência no agronegócio. Especialista em Vendas Agro B2B.
Renato Borges

Renato Borges

Filho e neto de produtor rural e sempre com a cabeça em tecnologia. Eleito pela Forbes os jovens mais promissores do Brasil na próxima década. Eleito pelo MIT (Massachusetts Institute of Technology) um dos jovens mais inovadores da américa latina. Engenheiro de formação, criou a Agrointeli que é uma plataforma agronômica em mais de 300 fazendas, 18 estados e 4 países. Mais de 7 anos de experiência no agronegócio. Especialista em Vendas Agro B2B.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

COMPARTILHE SUA OPINIÃO

1 1 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments